Cabelos com luzes podem fazer progressiva?

Cabelos com luzes podem fazer progressiva?

Uma das grandes dúvidas de clientes que vão realizar procedimentos em salões de beleza é saber se luzes e progressivas dão match. Essa preocupação é real e faz muito sentido, já que estamos falando de químicas pesadas que podem, sim, agredir os fios.

Geralmente, utilizar essas duas combinações não é algo muito recomendado. Contudo, cada caso é um caso, e somente um bom profissional pode avaliar a possibilidade de aplicar luzes e progressiva sem causar danos à estrutura capilar. 

Para saber da compatibilidade química é preciso realizar o teste da mecha com o objetivo de identificar se o cabelo aguenta o procedimento. 

Como funciona a química no cabelo

Ter fios mais claros é o sonho de muita gente. Para quem não quer tingir todo o cabelo com uma única cor, a opção são as luzes, técnica que clareia algumas mechas de modo a dar um contraste no visual.

Contudo, o processo químico das luzes pode gerar consequências como quebra, ressecamento, porosidade e desbotamento da cor com o decorrer do tempo se não houver um cuidado com as madeixas no dia a dia. 

Isso ocorre porque, durante o processo, o profissional utiliza uma mistura de pó descolorante e creme oxidante ativador (água oxigenada) que retira a pigmentação dos fios.

Já a progressiva é um método que alisa o cabelo, reduzindo o frizz, o volume e as ondulações.  

Para que cabelos cacheados, anelados ou crespos fiquem totalmente lisos é necessário modificar a estrutura do fio, utilizando um creme alisador à base de ácidos, hidróxidos, thioglicolato entre outras bases, que altera a conformação da queratina no córtex.

Quando a pessoa faz luzes e progressiva ao mesmo tempo, é possível que os fios apresentem fraquezas como ressecamento e corte químico.

O que ocorre é que, dentro da estrutura capilar, há proteínas que deixam os fios fortes e saudáveis, mas o uso combinado de químicas podem promover a perda dos nutrientes, proteínas naturais dos fios, internas, fazendo com que o cabelo saia do seu estado saudável para o estado sensibilizado, podendo ocorrer enfraquecimento ou até quebra dos fios.

Duas químicas juntas, pode ou não pode?

Se você ama cabelos lisos, mas não abre mão das luzes, existem algumas possibilidades que podem amenizar o impacto da aplicação de dois tipos diferentes de química nos fios.

Como já dissemos, a primeira é o teste da mecha. O profissional vai selecionar uma quantidade do produto a ser utilizado e aplicar em duas mechas do cabelo, sendo uma mecha da parte frontal e outra da parte posterior. O objetivo é verificar a resistência do fio no contato com o produto que será utilizado, seja procedimento de transformação da cor ou da forma.

Se tudo ocorrer bem, o próximo passo é esperar no mínimo duas semanas entre uma química e outra. Esse é o tempo ideal para o cabelo se recuperar a partir de um tratamento intenso para madeixas com cronograma capilar.

Aplicar os dois procedimentos no mesmo dia é uma decisão perigosa, uma vez que o cabelo pode até aguentar descoloração e alisamento, mas o resultado pode ficar comprometido. E a chance de quebra é considerável.

Prepare o cabelo para a química

Para evitar transtornos e resultados que impactem seu visual e sua autoestima, o ideal é utilizar produtos que ajudam no tratamento dos fios. 

A Mutari tem uma linha de reconstrução perfeita para essa finalidade: a Shock Plus. Além dela, também indicamos a linha de reconstrução e manutenção Mutari Therapy, com hidratação de 48 horas.

Para saber mais, entre em nossa loja virtual e veja como amenizar os processos químicos nos cabelos loiros com as linhas de tratamento da Mutari!

Deixe uma resposta